Brigadas de Recolha de Dadores de Medula Óssea

terça-feira, 2 de abril de 2013

Eu bem tento... mas não consigo.
A dor é cada vez maior.
Mexer nos teus presentes do dia da mãe, ver as tuas fotos, arrumar (?) O teu quarto, doi tanto, mas tanto filho.
Todas as noite peço para acordar deste pesadelo ou então nem acordar.
Dava tudo para te ter.
Tenho tantas saudades tuas meu puchi, meu peixinho, meu bebé.

3 comentários:

Nina disse...

Como não haverias de ter, minha querida?
um abraço

CIPS/RC disse...

Olá boa tarde:
Atrevo-me a intrometer-me na sua intimidade para lhe enviar muita força. Não a conheço a si nem ao seu menino, apenas de passagem aqui pelo blog, e sinto um aperto grande no coração porque não imagino maior dor do que a de perder um filho.
De mãe para mãe recebam também as minhas lágrimas, espero que reencontre nova luz na sua vida e que a luz do João siga convosco para sempre.
Bjos
Cláudia S.

Blan disse...

Eu que não conheci o João tenho saudades dele, imagino a mãe...

Sem querer meter-me no que não me diz respeito, acho que a Sandra deveria procurar ajuda, existe a associação âncora para pais que perderam os filhos. Sem apoio vai-lhe ser muito difícil viver com a ausência do seu menino.

Um abraço,